Que um homem, sendo Deus, ressuscite após a morte, não me causa tanta comoção quanto Deus, fazendo-se homem, vir frágil como todos nós, sofrendo nossas contingências. Um Deus que é pequeno e indefeso; que chora, caga, sua, alimenta-se, santifica todos os nossos gestos.

Que Ele esteja lá-onde-não-vejo, não me comove tanto quanto saber que Ele caminhou por aqui.

Um dia, na História, Ele mesmo veio e andou por entre ela, transfigurando-a, trazendo para ela o verdadeiro estranhamento, que então dá-se, de algum modo, a conhecer. O Santo Santo Santo, o Kadosh, o Inteiramente Outro toma nossa forma.

Na História, a Ostranenie.

bebê

Missa de Angelis

Canto Gregoriano: Missa de Angelis, Pronúncia do Latim, Tons salmódicos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: